Sergio Willians
ocupante da cadeira nº 2 (patrono: Alberto Souza)

Sergio Willians nasceu em Santos, litoral do estado de São Paulo, no dia 15 de dezembro de 1967. Desde a juventude se mostrou interessado pela literatura e, sobretudo, pela história regional, acalentando um dia poder unir essas duas paixões. A opção pelo jornalismo foi natural e, em 1992, iniciou sua trajetória profissional no Diário Popular (atual Diário de São Paulo). Passou também pela TV Tribuna, afiliada da Globo em Santos, ajudando na implantação do jornalismo local.

Atuou por quase 10 anos na área de TV, sendo o criador do primeiro programa da TV Mar (atual afiliada da Rede Record), o Periscópio, e foi roteirista e diretor de imagem em documentários e vídeos institucionais para empresas do setor público e privado, entre eles a Cosipa, a Petrobrás, a Copebrás, Sesc, além de oito das nove prefeituras da Região da Baixada Santista, incluindo Santos e São Vicente.

Em 2005 foi para o setor automotivo e, em 2007 para o de turismo nacional, executando trabalhos para as maiores instituições do setor, em Brasília, Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte.

Iniciou a carreira literária em 2008, com o lançamento do romance histórico PELAS CURVAS DAS ESTRADAS DE SANTOS, que narra a aventura da primeira viagem de automóvel realizada entre São Paulo e Santos, a pioneira do Estado e a segunda do Brasil.

Em abril de 2009, Sergio lançou a obra BONDES DE SANTOS, que narra de forma totalmente inovadora a trajetória de mais de 100 anos de vida dos bondes santistas. O livro, contado em ritmo de ficção de aventura, reúne elementos que o colocam como um dos grandes destaques da literatura nacional.

Em meados de 2008 inicia sua participação voluntária no Instituto Histórico e Geográfico de Santos, formatando projetos para buscar a revitalização da entidade, nascida em 1938. Tomou posse como membro da entidade em 2011.

Contribuiu para a mudança estatutária do IHGS, moldando-a para os tempos atuais. Aprovou na Lei Rouanet o projeto Almanaque de Santos, a primeira revista da instituição desde os anos 1960. Também lançou o boletim Almanaque Santista, de grande repercussão na cidade.

Em 2010 assumiu a assessoria de comunicação interna da Subseção de Santos da Ordem dos Advogados do Brasil e a chefia de redação do Jornal Povo de Cubatão.

No IHGS produziu dois grandes projetos. Em 2011 lançou a revista ALMANAQUE DE SANTOS, rompendo mais de 30 anos de inércia editorial e de produção histórica na entidade. A revista, que contou com o apoio do Ministério da Cultura, teve o patrocínio da Sabesp, através da Lei Rouanet. Foi considerado um marco para o IHGS e para a cidade de Santos.

Ainda em 2011, Sergio lançaria seu terceiro romance, JACINTO O SANSÃO DO CAIS SANTISTA, obra que teve como fonte inspiradora o famoso estivador que carregava até cinco sacas de café nas costas.

Em 19 de abril de 2012, se torna membro da Academia Santista de Letras, tomando posse na cadeira de nº 2, cujo patrono é o também jornalista e escritor, Alberto Souza.

No mesmo ano, Sergio optou em paralisar as atividades do Almanaque de Santos para produzir o ALMANAQUE SANTISTA, coleção sobre a história de Santos, dividida tematicamente em 12 fascículos. Este projeto, depois de pronto, contou com mais de 500 páginas de conteúdo histórico, com fotos e informações nunca publicadas na cidade. Foi distribuída para 97 escolas da cidade de Santos, entre municipais, estaduais e particulares. Foi o maior projeto de difusão histórica de Santos das últimas décadas.

Em 2012, Sergio montaria, ao lado das professoras Cida Franco e Tânia Pratas, a exposição "CONSELHEIRO NÉBIAS", pelo Instituto Histórico e Geográfico de Santos, também rompendo uma inércia neste setor.

Ainda neste ano lançou o livro comemorativo aos 75 anos da Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Santos.

Em 2013, convidado pelo prefeito Paulo Alexandre Barbosa, Sergio Willians assume o cargo de Secretário Adjunto de Cultura do município de Santos, para desenvolver projetos na área cultural santista, entre eles o da digitalização dos acervos de hemeroteca da cidade. Também inicia sua coluna no Diário Oficial do Município de Santos, intitulada Memória Santista.

Neste ano também assume a condição de diretor cultural da Sociedade Humanitária dos Empregados do Comércio, além de membro do Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico de Santos (Condepasa), do Conselho Municipal de Esportes, do Conselho Municipal de Cultura, do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, do Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano e do Conselho Municipal de Saúde.

Em 2014, assume a direção técnica da Fundação Arquivo e Memória de Santos e a coluna do Diário passa a se chamar Memória de Santos. O título Memória Santista passa a ser seu, e, com ele, lança um blog na internet (www.memoriasantista.com.br). Logo na sequência lança uma página na rede social Facebook, Memória Santista, que, em pouco tempo, junta mais de 8 mil leitores.

Em 2016, faz do Memória Santista um programa audiovisual, transmitido pelo Youtube.

 

OBRAS

 
     
   
   

Rua Soares de Camargo, 17 :: CEP 11045-050 :: Boqueirão :: Santos - SP
(13) 3238-8707 :: contato@academiasantistadeletras.org.br

criado pelo acadêmico Sergio Willians - www.sergiowillians.com.br