Raul Christiano de Oliveira Sanchez
ocupante da cadeira nº 17
(patrono: Martins Fontes)

Jornalista formado pela Universidade Católica de Santos, cursou também Direito e Ciências Sociais, parcialmente. Acumula experiência profissional pública e privada, nas áreas de comunicação, gestão de políticas públicas e sociais e relações institucionais. Tem 49 anos de idade, quatro filhos e uma vida inteira dedicada à democracia, educação, cultura, habitação e ao meio ambiente.

Chegou em Santos, no início da década de 70, vindo do interior de São Paulo (Brotas), onde completou os estudos fundamental, médio e universitário. Começou a trabalhar na adolescência, em uma biblioteca histórica de Santos, como patrulheiro mirim, na Sociedade Humanitária.

A partir daí militou nos movimentos estudantis e culturais da região, ao mesmo tempo em que trabalhou no jornal “A Tribuna” e colaborou com diversos jornais e revistas brasileiros e estrangeiros. Dirigiu centro cívico, diretório acadêmico, academia juvenil de Letras e de também o Grupo Picaré de Literatura e arte.

Filiou-se ao MDB em 1976, participou do movimento que originou na criação do Partido dos Trabalhadores em 1978, mas optou por filiar-se ao PMDB em 1979, liderando sua dissidência a partir de 1986 com o Movimento de Unidade Progressista - MUP. É um dos fundadores do PSDB, ao lado de Franco Montoro, Magalhães Teixeira, Sérgio Motta, José Richa, Mário Covas, Fernando Henrique, José Serra e Geraldo Alckmin, e atualmente é membro do seu conselho fiscal e diretório nacionais, bem como membro da comissão executiva estadual do partido.

Militou ativamente nos movimentos contra a ditadura militar e a favor da democracia, da anistia ampla geral e irrestrita, da convocação de uma Assembléia Nacional Constituinte, de eleições diretas para presidente, e da autonomia política e administrativa de Santos e de Cubatão, com Mário Covas. Lutou contra a poluição em Cubatão e contra a instalação de usinas nucleares no litoral paulista (Iguape e Peruíbe).

Destacou-se no movimento literário "marginal" - "geração do mimeógrafo" - na década de 70 até o início dos anos 80, tendo escrito e publicado quatro livros de poesias, um de ensaios sobre a produção independente na literatura, e participado de diversas antologias poéticas. É autor de livro com retrospectiva histórica sobre o partido dos tucanos, intitulado “De Volta ao Começo! - Raízes de um PSDB militante, que nasceu na oposição”, editado pelo Instituto Teotônio Vilela e pela Geração Editorial.

Professor universitário lecionou em universidades da Baixada Santista e da Capital, desenvolvendo também atividades de coordenação de marketing, política e estratégia durante várias campanhas eleitorais.

Presidiu a diretoria regional do Sindicato dos Jornalistas Profissionais na Baixada Santista.

Trabalhou na Assembléia Legislativa de São Paulo como assessor parlamentar do deputado Rubens Lara e da Liderança do PSDB; no escritório político paulista do senador Fernando Henrique Cardoso; na Prefeitura de Cubatão, como chefe de gabinete do prefeito e secretário do Meio Ambiente; na Secretaria de Estado do Meio Ambiente; na Delegacia do Ministério da Fazenda em São Paulo (gestão do ministro Fernando Henrique à época do lançamento do Plano Real) e no Ministério da Educação em Brasília.

Entusiasta das políticas de descentralização e participação defendidas por Franco Montoro dedicou a maior parte de sua vida pública atendendo aos interesses dos municípios e dos movimentos sociais.

Especializou-se gerente de programas sociais pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento - BID, em Washington, defendendo tese sobre o programa "Dinheiro direto para as Escolas". No governo FHC merece destaque sua presença na implantação do Programa Bolsa-Escola (durante oito meses de trabalho em 2001 alcançou a marca da adesão de 5.470 das 5.561 cidades brasileiras) e na articulação da campanha Toda Criança na Escola.

Foi um dos principais assessores e secretário particular do ministro Paulo Renato (Educação) e diretor de articulação com municípios para a implantação do Programa Bolsa-Escola Federal (Governo Fernando Henrique).

Suplente de Deputado Federal pelo PSDB-SP, com 82.794 votos (eleições de 2002), obteve em 2004, 28 mil votos na disputa da Prefeitura de Santos, e 33.152 votos para Deputado Federal em 2006. Foi Gerente Regional da Baixada Santista e Superintendente de Comunicação Social da CDHU – Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo (Governo Geraldo Alckmin).

Foi Superintendente de Comunicação Social e assessor especial de assuntos institucionais da Sabesp - Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Governo José Serra). Conselheiro da Fundação de Energia e Saneamento do Estado de São Paulo.

 

 

OBRAS

 
     
   

Rua Soares de Camargo, 17 :: CEP 11045-050 :: Boqueirão :: Santos - SP
(13) 3238-8707 :: contato@academiasantistadeletras.org.br

criado pelo acadêmico Sergio Willians - www.sergiowillians.com.br